Especial de Verão: Ceviche de Tilápia

Verão também é época de férias, vide que ja passou o Ano Novo, ja acabou janeiro e nada de novidades por aqui… 😳 Então, antes que chegue o carnaval vamos de receita nova! Aêeeeee!

ceviche3

E vamos de ceviche pra abrir esse Especial. Pra quem não conhece, o ceviche é um prato da culinária peruana que é basicamente peixe branco marinado no limão. O peixinho é cru mesmo, e se você for desses que torce o nariz pra peixe cru, saiba que a acidez do limão ajuda a dar uma [leve] “cozida” na carne do peixe, já ajuda, né? (minha mãe, por exemplo, não come comida japonesa por ser cru, mas ceviche ela come de boa).

A base do prato é essa (peixe+limão), mas um outro trio não pode faltar pra completar o quadro. São eles: cebola roxa, pimenta e coentro. Agora quando o assunto são os coadjuvantes, as opções variam, pode ter milho cozido, batata, batata doce, alga… e por ai vai.

Nessa versão Doce Sinhá me inspirei na tradicional, mas não resisti a colocar um pouquinho de Brasil no prato. Lista de ingredientes? Tem sim senhor!

ceviche2

  • 2 filés de tilápia (foi uma tilápia inteira, limpa)
  • 2 limões tahiti (limão verde, aquele comum mesmo)
  • coentro picado à gosto (mas vamos trabalhar a generosidade)
  • pimenta vermelha fresca ou em conserva, picada. {Aqui vai ser de acordo com a sua tolerância à ardência. Eu usei uma pimenta em conserva que eu fiz com as pimentas que minha tia Mera mandou pra mim lá da Bahia ❤️, mas você usa a pimenta que você preferir, o importante é colocar pelo menos um pouco. Não tem conserva nem fresca? se joga da pimenta calabresa (seca)!}
  • 1 cebola roxa cortada em fatias finas
  • 1 vidrinho de leite de coco (200 ml)
  • sal

– Pegue os filés de tilápia (já devidamente limpo pelo moço da peixaria) e corte-os em cubos médios. Teoricamente só se usa a parte mais gordinha do filé, mas peixe é caro, ceviche é gostoso e não trabalhamos com desperdício nessa cozinha, então corte tudo mesmo. A parte mais fina você pode cortar em pedaços maiorzinhos.

Daí é só temperar com o suco dos limões, o coentro picado, o sal, a cebola fatiada, a pimenta picada (Dica: descarte as sementes da pimenta pra arder menos), e por último, o leite de coco. Experimente, acerte o sal, e leve a geladeira até a hora de servir.

ceviche4

Ceviche é um prato que deve ser feito bem perto da hora de servir. Tenha em mente que quanto mais ele marinar, mais “cozido” o peixe vai ficar. Daí varia do seu gosto: peixe mais cru, tempera e serve, mais cozido, deixe marinar até 2 horas na geladeira. (Eu deixei o meu uns 30 minutos). É muito importante manter o peixe sempre gelado, então enquanto lava/corta/pica os outros ingredientes do prato, deixe o peixinho na geladeira, e depois do prato pronto também é pra lá que ele deve ir.

Enquanto seu peixe marina (ou antes de começar a fazer o ceviche) dá pra fazer esse molhinho esperto pra acompanhar. Super combina…

Pra acompanhar: Molho de pimenta biquinho

ceviche1

  • pimenta biquinho (umas 25, se quiser contar)
  • 1 col (sopa) de açúcar mascavo
  • um punhado de folhas de hortelã
  • água

– Mais simples nao poderia ser: pique as pimentas e as folhas de hortelã. Misture numa panelinha as coisas picadas e o açúcar mascavo. Ponha um pouco de água (umas duas ou três colheres) e misture pra dissolver. Se tiver um mixer, pode bater essa misturinha pra acentuar mais o sabor (pode usar o liquidificador no lugar do mixer, mas é tão pouquinho q acho q nem vale a pena o trabalho). Dai leva ao fogo pra dar uma fervida boa. Coloque numa tigela pra esfriar mais rápido. Sirva por cima do ceviche.

ceviche-insta

Se você nunca provou ceviche e ainda está em dúvida se experimenta ou não, tenho umas curiosidades pra te ajudar. O ceviche faz parte da culinária andina e era feito por povos da região há milênios (sem exagero); mas ele é especialmente querido e amado no Peru, onde é prato/paixão/orgulho nacional. Pra você ter idéia ele faz parte do Patrimônio Cultural do país e tem até uma data comemorativa só pra ele (dia 28 de junho). Vamos combinar que pra ser tão amado assim tem que fazer por onde, né?

Vai lá tirar a prova dessa paixão toda e volta aqui pra me dizer o que achou!

Dúvidas? Dicas? Sugestões? Dar um ‘oi’? Deixa um comentário aqui, prometo que respondo!

Besos,

Anúncios

Bruschetta de grão de bico

Olha eu aqui de novo, e na mesma semana! É o milagre do dedo quebrado 🙏🏽, hehehe… Brincadeirinhas à parte, espero realmente tornar isso um hábito [emoji de dedo cruzado que tá faltando].

Dessa vez venho trazendo para o seu deleite uma bruschetta com uma cobertura (é assim que chama?) um tanto inusitada, pelo menos foi pra mim, mas que super funciona e combina. Meu povo aqui adorou todas as vezes que eu fiz, e ô que repetir receita é sinal de sucesso.

img_1691_fotor

Vamos aos ingredientes?

2 xíc. de grão de bico cozido (ou o tanto que você achar bom)

Aqui vai uma dica, tente achar grão de bico enlatado no mercado, economiza o trabalho de cozinhar. Mas caso você não encontre, compre o seco mesmo, cozinhe o pacote todo e congele o que não for usar, assim quando você precisar já tá pronto!

Salsa picada a gosto, mas seja generoso (não gosta de salsa? pode usar coentro)

Azeite extravirgem

Sal e pimenta-do-reino à gosto

1 limão pequeno

1 pitada de pimenta calabresa

1 pão italiano (de preferência, mas outro pão mais durinho também serve)

1 dente de alho (inteiro)

– Comece pelo pão: preaqueça o forno a 200ºC. Corte o pão em fatias e arrume-as numa assadeira, se tiver daquelas baixinhas, melhor ainda. Passe azeite dos dois lados das fatias e tempere com um pouco se sal e pimenta-do-reino. Asse por uns 10 minutos ou até que fique levemente torrado.

Se você fizer o tipo esquecido, tipo eu, coloca o timer pra funcionar, não custa nada e te salva de queimar o pão, vai por mim.

Enquanto isso, coloque o grão de bico já cozido e escorrido numa tigela, junte a ele a salsa, umas 2 col. (sopa) de azeite, a pimenta calabresa, sal e pimenta, e o suco do limão. Aqui vai mais uma dica, adicione o limão aos pouco e vá provando, pra mim o suco todo fica forte demais, então vá dosando ao seu gosto. Sempre se pode acrescentar mais, mas tirar não dá.

img_1685_fotor

Amasse com um garfo essa mistura toda.

img_1687_fotor

A idéia é que fique uma mistura meio padeçuda mesmo, por isso não dá pra usar um processador. Reserve.

img_1689_fotor

Voltando ao pão, já tirou ele do forno? Ótimo. Agora é só cortar o dente de alho ao meio e dar uma esfregadinha de alho nas torradas (num lado só). Isso é pra dar um toque de alho sem ficar com o gosto muito forte do alho cru. Mais um fiozinho de azeite no pão e uma colherada na mistura de grão de bico.

Arrume numa travessa e pronto!

img_1690_fotor

Faz lá e me conta aqui o que achou. 😉

Baci,

a Sinhá